Filme da Semana: Z-o-m-b-i-e-s

maxresdefault (1)

ATÉ ONDE VOCÊ IRIA PARA MUDAR O MUNDO? Essa é a frase de efeito perfeita para esse filme. Apesar de ainda não te estreado no Brasil, consegui assistir pela TV Americana e posso dizer que mesmo não sendo a fluente em inglês, consegui entender bem os diálogos do filme sem precisar de legendas (nossa melhor amiga quando o conteúdo não saiu no nosso idioma ainda rs).

Antes de falar qual foi a minha opinião sobre o filme, segue a sinopse original disponibilizada pela Disney em sua divulgação.

disneys-zombies-1-ftrl
Zed (Milo Manheim) e Addison (Meg Donnelly)

“À Cinquenta anos, um acidente aconteceu na usina nuclear da até então pacífica e perfeita cidade de Seabrook, o que levou ao aparecimento de uma misteriosa névoa verde, que transformou à todos que foram expostos à ela em zumbis. Para evitar uma possível catástrofe, foram inventados pelo governo as Z-Bams, um bracelete inteligente que envia ondas eletromagnéticas pelo corpo inibindo a fome dos zumbis por cérebros humanos. Desde então, os zumbis passaram a viver normalmente no território conhecido como Zombietown, excluídos da população tradicionalista de Seabrook. Mas, tudo muda quando alguns estudantes zumbis de Zombietown são transferidos para o colégio de Seabrook, onde os dois grupos entram em conflito quando o zumbi Zed se encanta pela líder de torcida humana Addison.”

Com toda divulgação na TV e nas Redes Sociais, confesso que minhas expectativas para esse filme eram grandes, afinal, ele chegaria para “substituir” Descendentes, que recentemente foi anunciado pela Disney que teremos um terceiro e último filme da franquia, assim como aconteceu com High School Musical. Não é segredo que a Disney investe muito em musicais, pois, esse é o carro chefe deles, com músicas contagiantes que grudam na nossa cabeça (de um jeito bom), afinal quem até hoje não canta Breaking Free? Pura nostalgia gente!!!

zombies_hero_art-horizontal
Pôster oficial, divulgada pela Disney nas Redes Sociais.

Confesso que no final do filme, fiquei um pouco desapontada, porque não deu a impressão de que teremos uma continuação (embora eu já queira muito), mas nunca se sabe né? A história em geral é muito boa. Como todo nerd, eu deveria amar zumbis, mas morro de medo deles, portanto, no quesito de aparência, a Disney conseguiu deixá-los bem fofinhos, nada assustador demais, nem quando eles realmente deveriam parecer assustadores, até porque o público alvo é infanto/juvenil, isso já foi um ponto bem positivo, para mim, ao menos rs.

No filme, temos Addison, uma garota meiga e sonhadora, que quer muito entrar para a equipe de Líderes de Torcida, porém, ela esconde um segredo e acha que esse segredo fará com que ela não seja aceita entre os colegas do colégio. Em uma suposta invasão de Zumbis, quando Zed acaba entrando por uma porta errada, Addison se esconde em um quarto para se proteger dos zumbis, só que ela não sabe que não estava sozinha ali dentro. Quando se esbarram pela primeira vez, a Addi acaba surtando por poucos segundos e retoma a consciência ao avistar Zed, que não se parecia nada com o a ideia de “monstro” que seus pais faziam questão de colocar em sua cabeça, daí em diante, o filme fica recheado de muitas cenas fofas e músicas agitadas e com letras significativas. A minha música favorita foi logo de cara a Someday, que Zed e a Addison cantam juntos. (Segue vídeo da música abaixo).

Em todo tempo que passam juntos fica visível que Zed e Addison tem uma conexão que vai além de estarem apenas encantados um com o outro, porém, em boa parte do filme, ficam escondendo isso, porque não seriam aceitos, principalmente no caso da Addison, que foi imposto um limite, onde ela tem que escolher entre seu sonho ou o amor. O que eu achei muito legal no filme, é que o Zed tenta mostrar para Addi durante todo o filme que ser diferente é bom, ser diferente é que a torna única e a incentiva muito a se aceitar, até que em um momento, ela se aceita de fato e revela o seu segredo na frente do todo colégio, porém, não é bem recebida, mas ela não se abala. Eles vão até final fazendo a diferença, superando juntos o “Bullying” (que é um tema bem exposto durante o filme), o que é bem bacana, pois fez com que o enredo fosse muito além do foco de casal fofinho e tratou de falar de um assunto super importante, que precisa sim, de muita conscientização.

Enfim galera, essa é a resenha sobre o que eu achei do filme, espero que tenham gostado e até o próximo post. Fiquem abaixo com o trailer legendado, já que por enquanto, ainda não temos data prevista de estréia no Brasil.

assinatura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s